Allyson usa estratégia de ditadores para tentar abafar denúncias

Allyson usa estratégia de ditadores para tentar abafar denúncias

Não reconhecer o erro não diminui o pecado. Colocar a sujeira para debaixo do tapete não o define como uma pessoa limpa. Essas são duas situações comuns e que podem ser aplicadas ao prefeito de Mossoró, Allyson Bezerra (Solidariedade).

Aproveitando-se do fato de gozar de um considerável índice de popularidade, e de ter uma grande bancada de apoio na Camara Municipal, a peso de cargos comissionados distribuídos a seu bel prazer, Allyson começa a nadar em alguns episódios no mínimo incômodos. Apesar de a água da imoralidade ter subido a um bom nível, o prefeito faz de conta que não é com ele. São várias denúncias de má prestação de serviços, de problemas de gestão, de cometimento de crimes, e, típico de ditadores, o prefeito se recusa a responder a imprensa quando questionado sobre eles.     

Ao contrário do que muitos acreditam, o silêncio em nada reduz ou isenta a culpa de ninguém. O silêncio diante de um erro grave, é uma atitude covarde dos fracos e incompetentes, e uma tentativa de fazer com que esse erro caia no esquecimento das pessoas, também usada pelos falsários e enganadores.

Nada mais nobre por parte de uma pessoa, seja ela pública ou não em vir a público, se desculpar pelo erro, ou apresentar justificativa para suas ações. Infelizmente a nobreza e um vocábulo que não consta no currículo do atual prefeito de Mossoró.

Nem mesmo a revolta de grande parte da população mossoroense, e das vereadoras Larissa Rosado (PSDB) e Marleide Cunha (PT), que usaram as redes sociais para questionar a forma esdrúxula como o prefeito de Mossoró, Allyson “influecer” expos uma paciente do SUS, que se submetia a uma cirurgia ginecológica na Maternidade Almeida Castro.  Enquanto  a mulher lutava para ter um  problema  de saúde intimo resolvido,   Allyson usava o  fato   para se  promover  politicamente,  mesmo  que isso estivesse expondo a paciente nas redes sociais.  

O ato  e condenável  sob todos os  aspectos.  A pesar disso,  o   prefeito e seus assessores n ao   se  dignaram   seque r  a divulgar uma nota de esclarecimento sobre a aberração.

Mesmo procurados pela reportagem do portal Oeste em Pauta no dia da divulgação do vídeo os assessores do prefeito não tiveram a decência de responder.

Ao contrário, o prefeito e seus subordinados, trataram de se esquivar do assunto e abarrotaram as redes sociais e as caixas de email com assuntos sem relevância para a população mossoroense nesse momento.

A única atitude do gestor blogueiro, foi como não poderia deixar de ser, retirar o polêmico e repulsivo vídeo de suas redes sociais.

Atitudes com essa revelam o perfil dos gestores autoritários e centralizadores, e narcisistas que sói pensam na sua própria imagem. Tratar de questões de gestão  pública apenas em  suas redes sociais visa impedir o contraditório, gesto típico de ditadores.

Lamentável  que uma cidade do porte de Mossoró, tenham um gestor com esse perfil. Pior ainda é ver que outrora defensores da justiça, da igualdade e do respeito aos menos favorecidos, fiquem calados e ignore a situação.

Por muito menos, já tivemos levantes e manifestos de indignação.

No entanto exposição de uma mulher no seu momento mais íntimo; uso de recursos da CIP sem fiscalização; desaparecimento de doses de vacina; desaparecimento de equipamentos públicos, contratos milionários, sem licitação; aditivos, entre outras mazelas, antes questionadas por jornalistas e veículos de comunicação locais, deixaram de ser pauta. E viva o novo jeito de administrar Mossoró

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.